terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Pela sua Saúde II - Desenvolvimento infantil

O região do Zêzere colabora com os técnicos da Unidade de Cuidados na Comunidade Maria Dias Ferreira na divulgação de artigos sobre saúde. Este artigo é do Enfermeira Sandra Costa sobre o desenvolvimento infantil.



Desenvolvimento infantil, uma janela de oportunidade para a parentalidade

“Proporcionar à criança oportunidades para que tenha um desenvolvimento adequado é talvez o de mais importante que se pode oferecer à espécie humana” (OMS, 2005)

O desenvolvimento da criança é particularmente importante nos primeiros anos de vida. Este decorre da interação das características biológicas da criança e das experiências oferecidas pelo ambiente, o que faz do ambiente natural da criança e dos pais os principais promotores do desenvolvimento infantil.
Para que os pais possam desempenhar este papel necessitam de conhecimento e a consulta de vigilância de saúde infantil é um alicerce relevante neste caminho, pois os profissionais de saúde estão capacitados para fornecer orientação antecipatória, ajudando-os a serem mais confiante no desafio da parentalidade. No entanto, à que ter em conta que, independentemente do resultado das escalas padronizadas, o importante é encorajar a criança a dar passos que consiga, ao seu ritmo e ajudá-la a descobrir as forças que possui dentro de si.


Os pais para promover o desenvolvimento, podem e devem fazer uso de uma ferramenta fantástica, invisível aos olhos, mas sensível ao coração: os AFETOS. Apoio, carinho e afeto contribuem para o desenvolvimento adequado do sistema nervoso central e ajudam a formar as bases cognitivas e as capacidades intelectuais da criança.
Ainda no útero, conversar e cantar para o bebe já se vai repercutir positivamente na sua evolução. Após o nascimento são as trocas de gestos afetivos e emocionais nos momentos mais corriqueiros - o banho, a alimentação, a massagem e a troca de fralda – que ajudam o bebé a compreender o mundo à sua volta, a ter e a noção do «eu» e a formar as capacidades de confiança, empatia e solidariedade.
A criança descobre o mundo e aprendem através da brincadeira, dos passeios e do diálogo. E é o carinho dos pais nesses momentos que lhe dão o suporte necessário para encarar essa imensidão de novidades com curiosidade, coragem e segurança de forma a desenvolver todo o seu potencial.


Concluindo, para fomentar o desenvolvimento da criança à que partilhar as suas magias, as brincadeiras, o rebolar pela relva, o sentir a textura da natureza, o perfume das flores, a alegria de cantar e desafinar, a emoção de sorrir, de estar e partilhar, de tropeçar mas se erguer, lutar, e alcançar. São estes gestos de amor que podem fazer com que as crianças cresçam mais felizes e saudáveis.
Os pais por vezes, pensam que é preciso dar lhes o mundo, mas muitas vezes, esquecem-se que para elas o mundo, são eles mesmos. Para quem diz que não tem tempo para tanto: "Melhor pouco tempo juntos, mas vivido intensamente, do que muito tempo sem qualidade. Quando estiver com o seu filho, esteja por inteiro".

Sandra Costa
Enfermeira Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica da Unidade de Cuidados na Comunidade Maria Dias Ferreira