domingo, 11 de setembro de 2016

Peregrinação a Itália - testemunho


Um grupo de peregrinos da Unidade Pastoral de Águas Belas, Ferreira do Zêzere, Igreja Nova do Sobral e Pias e da paróquia de Alvorge, deslocaram-se a Itália em peregrinação com distintos objectivos. O mais importante era assistir à canonização da Beata Madre Teresa de Calcutá e atravessar a porta Santa da Misericórdia na Basílica de S. Pedro. Mas igualmente conhecer tudo que se  considerasse relevante.
Durante os seis dias que estivemos em Itália, tivemos oportunidade de conhecer muitas cidades, vários monumentos, praças, palácios e fontes de grande beleza.
No primeiro dia a chegada foi no Aeroporto de Veneza. Bela cidade de Itália situada sobre um grupo de cento e dezassete pequenas ilhas separadas por canais e ligadas por pontes. È uma cidade famosa pela sua arquitectura e obras de arte. Aqui tivemos oportunidade de visitar  a imponente Basílica de S Marcos.
Nesse mesmo dia o destino foi a cidade de Pádua, onde se encontra a Basílica de Santo António que visitamos e que os italianos o reclamam como sendo deles. É um edifício gigantesco, que recebe peregrinos vindos de todo o mundo. É também a maior igreja de Pádua em Itália, administrada pelos padres Franciscanos.


Outra cidade visitada foi Assis. A sua Basílica é a Igreja mãe da ordem Franciscana e situa-se na região da Umbria, tendo sido construída numa colina. Quero ainda salientar que em Assis se encontra a Basílica de Santa Maria dos Anjos, (Santa Maria  Degli  Angeli  e dei Martiri), situada no sopé de uma colina, construída à volta de uma pequena igreja do século IX, a Porciúncula, que quer dizer “porçãozinha”, local sagrado onde o jovem Francisco renunciou ao mundo para viver em pobreza.
A viagem continua até Roma, cidade onde permanecemos mais tempo. Aqui a visita foi panorâmica sobre a Roma Imperial, passando pelos pontos mais atractivos e que é obrigatório visitar Coliseu e Circo Romano, em que as vitimas eram os cristãos.


É de salientar que neste mesmo dia, o Papa Francisco, recebeu em audiência os representantes da União das Misericórdias Portuguesas, cujo objectivo era inteirar-se do problema dos emigrantes e refugiados assim como o trabalho desenvolvido e a desenvolver a esse nível.
Seguiu-se a Basílica de S. João de Latrão  que é a Catedral da Diocese de Roma e Sé Episcopal oficial do Bispo de Roma, o Papa. É também a mais antiga e a primeira entre as cinco basílicas papais do mundo. É interessante saber que, houve dois papas que a dedicaram; um a S. João Baptista, outro a S. João Evangelista, mas continua a ter como Patrono, CRISTO SALVADOR.
Estivemos na Escada Santa. Esta escada só deve ser subida de joelhos, só assim se adquirem as graças pedidas. Algumas pessoas do grupo tiveram a coragem de subi-la.
Uma outra Basílica que tivemos o privilégio de conhecer foi Santa Maria Maior. É uma das sete maiores igrejas de peregrinação e a maior igreja Mariana em Roma, onde o Santo Padre se desloca algumas vezes.
Na Praça de S. Pedro, encontramos a Basílica do mesmo nome, adornada com 340 estátuas de Santos, Mártires e Anjos. É um majestoso edifício religioso do catolicismo e um dos locais  mais visitados do mundo.
A capela Sistina no museu do Vaticano é ponto obrigatório do visitante. Pela beleza que irradia e pelo admirável pintor Miguel  Ângelo,  que pintou tão maravilhoso espaço que supera quanto se possa imaginar.
Transpor a Porta Santa da Basílica de S. Pedro,  era um dos objectivos desta peregrinação, em virtude de  se estar a viver o Ano Santo da Misericórdia, proclamado pelo Santo Padre, em 8 de dezembro de 2015 a 20 de novembro 2016. O objectivo foi alcançado assim como todos os que estavam previstos.
A Igreja de Santo António dos Portugueses, que se situa em Roma muito perto da Basílica de S. Pedro, é a igreja que todos os portugueses querem visitar. Tem uma longa e bela história. Aqui como em quase todas as basílicas e cidades de Itália e todos os dias, foi celebrada a Eucaristia pelo Senhor Padre Pedro Manuel Luís, o grande companheiro espiritual desta tão importante e bela viagem.
De facto o momento mais alto desta peregrinação foi a canonização da Beata Madre Teresa de Calcutá, em que o Santo Padre o Papa Francisco, a transforma em Santa Teresa de Calcutá sendo Canonizada no Vaticano, na Praça de S. Pedro dia 04/09/2016, cerimónia esta que reuniu mais de cento e vinte mil fiéis.
A última etapa desta memorável e deslumbrante peregrinação foi a Basílica de S. Paulo  Extra-Muros  e as  Catacumbas  de  Domitília.  Dentro da Basílica, em que o Padre Pedro celebrou a ultima Eucaristia desta peregrinação a Itália, tivemos ocasião de relembrar a vida de S. Paulo, sua conversão a caminho de Damasco, as cartas que escreveu e história narrada por S. Lucas, nos Actos dos Apóstolos.
Por tudo que vimos, ouvimos, presenciamos, observamos, admiramos e pelo grupo de fiéis maravilhoso com quem convivemos durante estes dias, quero agradecer a todos. Agradecer à Cristina, funcionária da Agência de Viagens Verde Pino, pelo comportamento exemplar que sempre teve.
Para conclusão, um obrigado muito sincero ao Senhor Padre Pedro, que desde o primeiro dia mostrou total disponibilidade na  organização  desta tão sublime peregrinação.  
Mas o maior agradecimento, vai para o Senhor Deus por tantas bênçãos e graças recebidas.
Despeço-me de todos com um forte abraço.
 Maria do Carmo.
Igreja Nova/2016/09/05