domingo, 25 de setembro de 2016

Domingo

O Evangelho de hoje apresenta-nos a Parábola do pobre Lázaro e do rico anónimo. Enquanto Lázaro tem nome perante Deus, um rosto e um espaço no seu coração, o rico não tem nome, porque não sabe ser pessoa, vive apenas para si e sufocado na sua riqueza egoísta. 
A Parábola mostra-nos que o rico não é condenado por ser rico, nem Lázaro é salvo por ser pobre. 



O rico nunca fez positivamente mal a Lázaro, porém, nunca olhou para ele como irmão, alheou-se por completo perante as sua necessidades e descartou-se das suas responsabilidades humanas. Eis o motivo da sua condenação, nunca fez bem algum ao pobre Lázaro, pecou por omissão, não fazendo o bem que poderia ter feito.
Senhor, Pedimos-Te hoje que nos faças ver o sofrimento dos outros como apelos do Teu amor. Para Ti, todos os pobres tem nome, para nós, em todo o sofrimento ao humano, Tu estás presente. Ajuda-nos a ver-te no nosso próximo a e repartir com eles a nossa vida.

D. Francisco Senra Coelho
IN: Rádio Renascença