terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

O barco 3 tábuas Ferreirense - fotografias e vídeos

José Alberto, natural de Dornes, aprendeu a fazer o tradicional barco 3 tábuas com o pai. Nessa altura este era um meio muito útil para transporte de pessoas entre margens, principalmente para a zona da Sertã, para transportar madeiras, animais e todo o tipo de cultivo agrícola nas muito férteis margens do Zêzere e claro para a pesca.


Desenho de Alfredo Keil de Dornes antes da subida da Barragem de Castelo do Bode, com imagem do barco 3 tábuas.


O 3 tábuas no Zêzere

http://castelodebode.blogspot.pt/  fotos retiradas do livro "Dornes, o Tesouro dos Templários"

Na represa da Pombeira com o 3 tábuas

http://castelodebode.blogspot.pt/  fotos retiradas do livro "Dornes, o Tesouro dos Templários"
 A construção da Ponte do Vale da Ursa
http://castelodebode.blogspot.pt/ fotos retiradas do livro "Dornes, o Tesouro dos Templários"
Com a chegada da Barragem em 1950 e com a construção de pontes e de novas estradas, o barco perdeu importância. 
Atualmente é basicamente um barco de recreio, mas ainda há alguns apreciadores das características desde barco. Tem cerca de 5 metros de cumprimento e 1.40 de largura. A proa é baixa dadas as águas calmas do rio o que favorece o silêncio ao navegar, fundamental para a pesca.
Mas o Mestre José Alberto teima em que não se perca a tradição. 
Hoje é o único construtor do 3 tábuas. 
Utiliza ferramentas tradicionais, mas aderiu também às serras elétricas, usa mais de 250 pregos tradicionais e resina para calafetar. Mas o mais importante é o seu conhecimento, a sua forma de saber fazer o 3 tábuas.
Já não há muitos clientes nem jovens interessados em aprender a construí-lo.
José Alberto mostrou como se faz, passo a a passo.
Obrigado Mestre.