quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Pólo de saúde da Frazoeira tem utentes e espera médico

Dia 8 de Janeiro de 2016 fará 21 anos da sua inauguração. Foi dia de festa para a população das freguesias de Bêco, Dornes e Paio Mendes. Estiveram presentes diversas personalidades locais, distritais e nacionais da política e da saúde, muitos médicos e enfermeiros, muito povo, muita esperança num edifício que é considerado das melhores extensões ao nível do Distrito, numa cerimónia abrilhantada pela Filarmónica Frazoeirense e que no fim terminou com um convívio para todos os presentes como agradecimento à sua generosa colaboração, já que para o erguer, a população contribuiu com 70% da obra após três peditórios.
Até dia 31 de Julho de 2015 tivemos médico de família a tempo inteiro, tal como enfermeiro, e desde aí temos apenas consultas durante 16 horas por semana, o que é manifestamente pouco, não havendo lugar a consultas de risco. Para uma população que à data dos últimos censos tem 1995 cidadãos e cerca de 1700 inscritos nesta extensão de saúde, é necessário repor o médico de família a tempo inteiro, tal como acontece nas restantes extensões do Concelho.
Não posso deixar de enaltecer o médico que actualmente assegura o atendimento, o Dr. Pedro Manata, que é um excelente profissional e tem deixado todos os utentes extremamente satisfeitos, motivo pelo qual seria excelente poder contar com o seu atendimento a tempo inteiro. Talvez com as mudanças na política de saúde que aí se adivinham seja possível, esperando que estejam primeiro as pessoas e só depois os números.
À luz das recentes notícias, relativamente à vinda de mais um médico de família para a U.S.F. de Ferreira do Zêzere motivado por novas inscrições nessa unidade, e para a qual foi efectuado um apelo para esse efeito, no Pólo da Frazoeira padecemos do problema exactamente oposto: as inscrições existem, perfazendo um grande número de utentes que esperam que lhes seja atribuído um médico a tempo inteiro, algo que pedimos e reivindicamos desde que ficámos sem médico. Um problema de gestão que não favorece aqueles que não têm facilidades ou meios para se deslocarem de forma a poderem usufruir de cuidados básicos de saúde!
Há mais de 100 anos que a população recebe assistência médica nesta localidade. Não será em pleno século XXI que vamos permitir este retrocesso de ânimo leve.

Sempre atentos!
Manuel dos Santos Nunes.