sábado, 15 de agosto de 2015

Para todas a mães ...e filhos.

"Mãe, Minha Mãe"



No consolo de um abraço ou na saudade de uma memória. 
Na alegria dos dias felizes ou na dor das tristezas, há sempre um toque de coração, quando dizemos baixinho: Mãe, Minha Mãe.

Mãe. É uma forma de amar tão pura e segura que ultrapassa todos os limites que a vida vai colocando aqui e ali. 
É uma forma de amar tão pura e segura, que Tu próprio, Jesus, a conheceste ao Teu lado, desde a noite de Belém até ao Calvário da Tua morte.

Hoje, que celebramos a Sua ida para o céu, em corpo e alma,  eu Te peço pela minha Mãe. E por todas as Mães. 
  • As que choram de alegria com os seus filhos acabados de nascer e as que choram de dor, abraçadas a filhos que já partiram. 
  • As que preparam refeições fartas e felizes e as que procuram migalhas que ninguém quer. 
  • As que viajam por todo o mundo e as que só conhecem aldeias perdidas no fim de tudo. 
  • As que partem rodeadas do amor dos seus e as que morrem sozinhas, abandonadas.

Maria, Mãe de Jesus. Maria, nossa Mãe…

Isabel Figueiredo (In: Rádio Renascença. www.rr.sapo.pt)