domingo, 27 de julho de 2014

Domingo


Neste Domingo, o Evangelista São Mateus apresenta-nos as três parábolas do Reino de Deus: «O reino de Deus é semelhante a um tesouro escondido no campo (…), a um negociante que procura pérolas preciosas (…); a uma rede que, lançada ao mar, apanha todas as espécies de peixes» (Mt. 13, 44-47). Nas duas primeiras comparações, Jesus lembra-nos que o Seu Amor por nós deve valer mais que tudo, pois tem valor absoluto e decisivo para a nossa salvação.
Estar no mundo sem ser do mundo é a forma como os cristãos são convidados por Ele a colocarem-se na vida. As suas escolhas e opções fundamentais devem estar em consonância com Aquele em quem creem.
Desejamos, Senhor, aprender a orientar a vida para o essencial, usando os dons, talentos e oportunidades recebidos de Ti, para o bem comum. Por isso Te pedimos que nos ensines a viver sempre com gratuidade a dádiva da nossa vida. Não nos deixes permanecer no opaco do calculismo, mas molda-nos na transparência da simplicidade, para que todos Te persintam e descubram em nós.


D. Francisco José Senra Coelho (in: www.rr.pt)