quarta-feira, 19 de março de 2014

Pai para sempre

Poema dedicado aos pais da autoria da escritora ferreirense
Helena Pinto.



Pode passar o tempo desta vida e de outra também,
Andar todo o mundo num frenético e alucinado vaivém,
Indagar o espirito as misteriosas razões que a vida tem…

Pode ruir o mundo e desabar o espaço em meu redor,
Andar ao rumo das marés do mar e do vento ao seu sabor,
Recuar um passo para avançar dois sem medo e sem temor,
Acordar para a realidade num súbito e inesperado tremor…

Seja a vida boa ou má, cheia de sorte ou do mais malfadado azar,
Eu sei que tu estás sempre lá para na caminhada me amparar,
Mais que tudo és a mais desinteressada e pura forma de amar…
Pai! Podemos nem sempre estar de acordo e ter as nossas discussões,
Relembrando que o tempo passou e que com ele aos poucos eu cresci
E no entanto nada muda, nada fere, nada mata este imenso amor por ti!