sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

PS reage ao fecho do Tribunal de Ferreira do Zêzere



O encerramento do tribunal é um retrocesso inaceitável para o desenvolvimento e para a soberania do concelho Ferreira do Zêzere.
Perde-se Justiça neste Concelho, mas não só, perde-se também um conjunto de consumos no comércio e restauração gerados pelos funcionários deste Tribunal, que deixarão de existir.

Preocupam-me os encargos que os munícipes terão que suportar  para se deslocarem aos tribunais limítrofes, além de todos os custos judiciais onerosos que já suportam. 
Pelo que pude apurar, o encerramento destes 20 tribunais vai conduzir à poupança de 500 mil euros, uma verba que considero irrisória quando se fala em Justiça.

Compreendo a necessidade de redução na despesa do estado, mas não posso aceitar   medidas desta natureza, cegas na avaliação do custo/benefício, que só vêm acarretar mais dificuldades à população.

Ferreira do Zêzere não ficou sequer com uma das "secções de proximidade", embora  tenhamos mais processos judiciais que alguns Concelhos dos 27 Concelhos que ganham o direito a elas.

Desconheço que medidas a Câmara vai tomar para travar esta diretiva, mas parece-me claro que avançar com uma providência cautelar é o único caminho possível, a exemplo de outros autarcas, para defender e salvaguardar os interesses dos ferreirenses e da sua interioridade.

O Partido Socialista está disponível para, conjuntamente com o Sr. Presidente de Câmara, defender a permanência do tribunal.


Este Governo Legislativo e o Executivo Autárquico têm a mesma cor política, os elos de ligação deveriam ser fortes. Eu não aceitaria de ânimo leve que o meu Partido penalizasse o meu Concelho desta forma. 
Bruno Gomes