quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Dia de Natal

A olhar o teu presépio


Estou aqui
a olhar o Teu presépio
Prostrado diante da Tua pequenês.
Inunda-me a gratidão
pela Tua presença na nossa casa, o mundo.
Vieste até nós
com sinais da nossa fragilidade
e com a omnipotência escondida num casebre.
Estou a olhar o teu presépio
e a seguir-te em todos os passos e palavras.
Cresce meu Menino,
esperam-te os pobres, os doentes,
os desanimados, os pecadores
os expulsos de casa,
os espoliados do pão e do calor humano,
os sós, os vencidos.
Vendo-Te vejo no  brilho dos olhos de todos
a Esperança
o sentido da vida
a explicação da história
o mistério do mal
o triunfo da Ressurreição.
Tudo e todos neste presépio,hoje
que, prostrado, contemplo.
E Te adoro.


Pe. António Rego (in:www.rr.pt)