quarta-feira, 16 de maio de 2012

Época de fogos, conheça os meios disponíveis em Ferreira do Zêzere


No que diz respeito à prevenção dos incêndios florestais, começou ontem a fase Bravo. Uma fase intermédia que envolve já um número considerável de recursos humanos e de meios. 
Porque o concelho de Ferreira do Zêzere está situado num ponto estratégico para a Região Centro e Vale do Tejo,  questionámos Pedro Mendes, Responsável Municipal pela Proteção Civil que nos indicou os meios disponíveis e alguns conselhos a ter.



Na pista municipal de Valadas, no nosso concelho (e para uma vasta região) passam a estar presentes DOIS helicópteros de combate a incêndios: 
  • 1 heli KAMOV (helicóptero pesado) e 1 helicóptero ligeiro, com brigada helitransportada da Força especial de Bombeiros “Canarinhos”;

  • Inicia atividade o posto de vigia da Pombeira (da responsabilidade da GNR);
  • Mantém-se a atividade dos bombeiros Vol. F. Zêzere com o pessoal voluntário 24h/dia e com uma EIP – Equipa de intervenção permanente durante o dia. 

  • Mantém-se a atividade das duas equipas de sapadores florestais da Florzêzere, que efetuam trabalhos de silvicultura mas passam a estar em contacto rádio com o sistema de vigilância da GNR, podendo ser acionadas pelo dispositivo distrital de Protecção Civil para intervenção.

A partir de 1 de junho, vão ser reforçados meios dos bombeiros.


Até ao inicio da fase CHARLIE (01JULHO) o dispositivo disponível vais ser incrementado em diversas etapas, com meios aéreos nas zonas adjacentes ao nosso concelho, com meios da Força Especial de Bombeiros, com meios do agrupamento complementar de empresas AFOCELCA, com meios da GNR e dispositivo de vigilância, com meios suplementares de vigilância de iniciativa Municipal e com trabalho especifico das equipas de Sapadores Florestais.

Durante a fase BRAVO (dependendo da disponibilidade e condições meteorológicas) ficarão alerta para intervenção os “kit’s de combate a incêndios das juntas de freguesia”, que no nosso concelho existem em Águas Belas, Bêco e Dornes.

Mantêm-se os meios de apoio da Câmara Municipal.

Até 30 de junho mantem-se a proibição de realização de queimas de sobrantes de exploração (borralheiras) se o risco de incêndio previsto para o concelho for superior a três (4 ou 5), devendo ser mantida a máxima atenção quando forem efetuadas com risco 1, 2 ou 3; 

Este RISCO é determinado diariamente pelo Instituto de Meteorologia e que pode ser consultado na internet, ou obtida informação do mesmo nos Bombeiros, GNR, Câmara Municipal, entre outros locais.

A partir de 1 de Julho passa a ser proibida a realização de borralheiras, até 30 de Setembro, independentemente do risco meteorológico de incêndio previsto.