segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Lusatile começa a ser retirado da Escola de Ferreira do Zêzere

A Escola Pedro Ferreiro foi construída há 33 anos e tem vindo a sofrer algumas obras normais de conservação.
Mas amanhã, em pausa letiva, começam obras mais rigorosas e que abrangem todo o edifício. Depois de se levantarem suspeitas na composição das placas de lusalite e no alegado perigo para a saúde pública pela presença de amianto.
Porque todo o edifício está coberto com estas placas, foi autorizada a sua substituição completa na zona de sala de aulas, refeitório e pavilhão gimnodesportivo.

 


 O perigo do amianto reside essencialmente na possibilidade da inalação das suas fibras que podem alojar-se nos pulmões, onde podem permanecer durante anos. O nosso organismo reconhece-as como um “corpo estranho” e reage tentando eliminá-las através das suas células de defesa que, com o objectivo de destruir as fibras, libertam determinadas substâncias. Estas substâncias, além de se mostrarem incapazes de eliminar as fibras, agridem os pulmões e daí podem surgir várias doenças que podem resultar inclusivamente em cancro do pulmão.

É importante reconhecer que as doenças provocadas pelos asbestos são o resultado de um contacto prolongado com níveis elevados das suas fibras.
Estas doenças praticamente só atingem pessoas que estão ou estiveram expostas a níveis elevados de asbestos durante um longo período de tempo (por exemplo os trabalhadores das fábricas de fibrocimento). Para as outras pessoas, os riscos são extremamente baixos. Por exemplo, se alguém estiver sentado num edifício que contenha amianto, é mais provável ser atingido por um raio do que vir a morrer prematuramente devido ao amianto.
É ainda importante realçar que, os materiais que contêm amianto e estão em bom estado de conservação, não libertam fibras. O perigo ocorre quando o amianto começa a degradar-se, havendo aí o risco de inalação das fibras. Outra forma possível de contacto com o amianto é através da ingestão de água. Até hoje, ainda não conseguiu provar-se que da ingestão de fibras de amianto não decorra qualquer perigo para a saúde.